Casa d'Aldeia é a casa original, a mais antiga habitação de minha cidade natal Cachoeira do Sul. Habitação, que, igual a cidade, apesar de tantos golpes de vento e borrascas sazonais teima em manter ao menos duas paredes de pé. Casa d'Aldeia é a minha casa. Seja bem vindo a ela!
twitter orkut facebook digg favorites mais

21 de jun de 2009

MUITO ALÉM DO ORKUT

www.imagesgoogle.com
Toda vez quando surge uma pequena chance de democratização da educação e da cultura, rapidamente os "velhos coveiros do carnaval", como bem os classifica Aldir Blanc começam a urdir seus planos em segredos. Com atos secretos & decretos que esbofeteiam a cara do "polvo": esse um ser tentacular, anamorfo, quase subjetivo. Atualmente entre um escândalo do senado, outro da câmara dos deputados e, de quebra algum sururu estadual - que ninguém quer perder essa "carreira" (risada prazerosa em off); a bola da vez é creditar ao Google e ao Orkut a responsabilidade por todas as perversões do mundo. Seguindo um raciocínio "patrulhar" yanque, querem por ato ou medida provisória aplicar cerceamento à liberdade do Orkut e fiscalizar o Google. Práticas essas comuns no Irã e na China, só para citar dois exemplos.

Coisa é que sem o advento miraculoso do Google Books eu, modesto pesquisador, escritor, estudante, não teria acesso às raras publicações nacionais e internacionais que contam mais de setenta anos, e, por força de lei teriam (na prática selvática de um governo inerte quanto a educação não é assim) de ser disponibilizadas gratuitamente à todos os interessados. Explico: os direitos à propriedade intelectual contemplam o autor ou detentor do chamado "copyright" a recolher dividendos por exatamente 70 anos a contar da publicação ou gravação da obra. Após esse período torna-se domínio público.

Mas no Brasil sil sil das mulheres fruta (cabeças de porongo) celebridades instantâneas não é assim. Primeiro a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro - que promete mas não cumpre, não disponibiliza online nada que valha a pena para um pesquisador inscrito. Segundo, os livros solicitados aparecem como disponíveis em lojas e livrarias. Marcados e etiquetados com preço bem à vista. Porém amigos, há a maravilhosa ferramenta do Google Books. Basta cadastrar-se: Voilá! O Google disponibiliza online livros e mais livros raros e raríssimos para serem copiados, gravados ou só armazenados na sua biblioteca virtual.

Curioso sobre a procedência dessas obras fui investigar quem as tinha digitalizado e posto a circular de forma absolutamente democrática na web: pois bem senhores e senhoras meus vizinhos que lêem esse "anedotário"; tratando seriamente a educação e o ensino os responsáveis por essa iniciativa realmente venerável são as universidades de Harvard, UCLA, Sorbonne e outras tantas instituições sérias dos Estados Unidos, Canadá e Europa preocupadas e interessadas para com a cultura e a educação. Quanto às universidades do Brasil, até tentam fazer o mesmo. A USP e a UNICAMP de São Paulo iniciaram um tímido projeto de digitalização de seu acervo. A bibliteca Nacional, como já disse, põe tantos impecilhos para um download, tanta buracracia e formalidade, que o sujeito desiste logo.

A canalhice demanda muita falta de vergonha. Sem nunca terem mencionado em entrevistas o lado absolutamente democrático do Orkut e do Google os políticos malandros, salafrários deste feudo de bananas d'onde infelizmente não saí quando era tempo, vão no "vai da valsa" enrolando e procurando chifre em cabeça de cavalo. Que vão cuidar da roubalheira generalizada e tentar botar na cadeia a camarilha sem freio sanguessuga do povo deste país, e deixem em paz a única ferramenta realmente democrática que temos e da qual nos valemos para fins de ilustração e educação. Tem lá suas mazelas esse Google e esse Orkut? Tem. Mas democracia é exatamente isso: discordar do ponto de vista do outro, defendendo o direito dele a expressar esse ponto de vista até a morte! (E esta lição democrática aprendi com o grande mestre Voltaire!)

18 de jun de 2009

PICADILHAS & PICADONAS

http://www.imagesgoogle.com/
To de saco cheio das falcatruas secretas & indiscretas da politicalha deste país...

Eu não desejo o fechamento do congresso. Mas desejo o "fechamento do paletó" de muitos congresistas e me socorra Tenório Cavalcantti! Não desejo a extinção da democracia, mas desejo a extinção imediata e irrevogável da "plutocracia" & "impunidadecracia". Não desejo que os congressistas debandem em massa para as Caiman, Suíça ou outro paraíso fiscal com as ceroulas forradas de dólares. Desejo que se lhes saquem as ceroulas sujas, e, assim sejam postos num noviciado e de aristocratas se transformem nos "sans culote" da França absolutista.

Não desejo nada de mal a nosso Brasil sil sil sil sil! Mas até que um governozinho parlamentarista ia bem, não ia??

15 de jun de 2009

GERUNDINOS & ADVERBALDOS

Imagem: www.images.google.com.br

O saudoso e genial compositor Gonzaguinha é o autor da canção "Geraldinos & Arquibaldos" - parodiando seu título ataco de Gerundinos & Adverbaldos...


Tudo começa com uma chamada telefônica, despretensiosamente atendida. Feito isso tu ouves uma voz feminina agradável, dotada de certa melopéia estranha, uma espécie de vibrato forçado com terminação em fermata, ou seja som de um eco esticado, mais ou menos como o Silvio Santos e seu impagável "mmmmm" ao final de todasas frases. Mas a voz referida está longe do roufenho desagradável timbre de Silvio Santos, porém, sua conversa se caracteriza pelo emprego exagerado - diria até indiscriminado, do gerúndio e das locuções adverbiais. Tudo conjugado na primeira pessoa do plural. É um tal de nós estaremos realizando,nós estaremos remetendo, aliado a "inefável" locução: Com certeza! Disseminada no Brasil pela ex-apresentadora de telejornal da rede globo Leda Nagle. A voz agradabilíssima e cantante dispara rajadas mortíferas sem piedade de assassinar a última flor do Lácio inculta e bela, tampouco faz algo para amortizar a dívida contraída com nosso ouvido incauto naquele instante lhe fazendo as vezes de pinico! Toda aquela arenga mercadológica da vendedora tentando empurrar sobre o desavizado algum serviço ou buginganga leva o mais paciente dos ouvintes à exaustão.

14 de jun de 2009

COMPLEXO DE PETER PAN


À busca da auto afirmação alguns indivíduos, principalmente do sexo masculino, tornam-se abjectos, obsessivos e asquerosos. O motivo para se fazerem tão nojentos aos olhos da gente decente é o assunto monocórdio abordado de forma contínua e exaustiva por esses elementos aos quais reputo graves problemas de foro psicológico. Aventuras romanescas ao pior estilo casanovesco são temas recorrentes das narrativas desses palermas. Peripécias e façanhas de grande monta. Chicanas & trapaças, figurando nelas a mulher sempre como objeto da mercancia amorosa - ingênua presa da esperteza sedutora do "garanhão" que a manipula usando para isso seu "sex appeal" e sua assombrosa capacidade de inventar mentiras.

No transcurso dessas bravatas o homúnculo se coloca na heróica posição de conquistador irresistível, infalível, inabalável. Diferente do resto dos mortais comuns esse colosso não está sujeito a nenhum revés. Não tem mau dia. É imune às decepções. Nenhuma mulher jamais lhe oferecerá resistência, tampouco se apaixonará, tornando-se assim, como de resto todos os homens, frágil e dependente. Ele é um semideus. Os atributos físicos & psíquicos desse Houdini do sexo lhe rendem o desfrute de todos os tipos de mulher:Jovens, maduras, viúvas, casadas, solteiras. Entretanto, o prazer maior obtido por esse Robin Hood imbecil movido a carbureto (& viagra) não se limita ao fruir da agradável companhia de uma mulher. Tal tipo de cretino só obtém prazer fabulando, inventando estórias nas quais protagoniza aventuras sexo recrativas de toda ordem.


De uma maneira infantil (Freud explica) esses elementos de comportamento infantil necessitam criar essas estórias como uma espécie de compensação à rejeição a que se veem submetidos.


Todos os adultos sabem: As relações afetivas são complexas. Não se resumem à busca desenfreada do prazer - a não ser casos originados por alguma psicopatia. A vida adulta exige um grau refinado de compreensão sócio política, e o estabelecimento de relacionamentos interpessoais baseados num sem número de fatores que determinam a posição e a influência de um indivíduo, estabelecendo seu status quo dentro de um grupo. Um indivíduo maduro, equilibrado, contrário ao elemento tipificado aqui, está ciente das implicações e responsabilidades pertinentes a qualquer relacionamento seja fortuito ou estável, ocasião na qual respeito ao parceiro(a) tem lugar prioritário.


Entretanto, os basbaques paspalhos, gabolas e boquirrotos não enxergam o próximo - tampouco respeitam os outros. Sua fanfarronice grosseira atropela e achincalha. Ofende a inteligência dos ouvintes acidentais desses comentários e relatos maldosos sejam verdadeiros ou obras da mais pura ficção.


Entre meu círculo de amigos não existe ninguém assim. Nunca existiu. Afinal escolhemos para ombrear conosco aqueles que demonstram as mesmas ideologias, princípios e afinidades.


11 de jun de 2009

O CONTRAGOLPE




Bordunas: www.imagens.google.com.br


Como já afirmei, não sou lá flor que se cheire! Ultimamente tenho urdido planos maquiavélicos com o simples objetivo de chacinar meus vizinhos. Gente supérflua, mesquinha. Gente que passa a vida aos brados; gritaria infernal desde manhã cedo. Já os ouvi; a mulher, brigando por comida. Reclamando um pedaço maior de carne ou mais um bocado de arroz. Não se trata de gente esfaimada ou desnutrida, ela é gorda, chambona e gulosa. Mas desequilibrada. Como de resto a família; marido e filho. O primeiro um simplório, o segundo neurastênico apesar da pouca idade. A mulher apresenta traços de depressão profunda e esquizofrenia. No prosaico das suas conversas entram assuntos desimportantes. Fuxicos, comentários. Planos de melhorias na casa , entre outras coisas.
Teria gosto em chaciná-los. Tudo muito rápido, ao estilo tupi. Uma borduna forte feita de camboim. Manejo ligeiro. Cada cacetada no cocoruto um maluco a menos no mundo... Mas não é correto. Nesses tempos de lei e civilização, em que continua o tráfico de gente. Tempos civilizados quando ladrões vituperiosos roubam da boca dos mais pobres, bilhões e bilhões, e nada lhes acontece em prejuizo pois são intocáveis. Não seria correto esmagar os crânios inúteis de meus vizinhos. Afinal isso poderia abrir um precedente. Outros vizinhos incomodados haveriam de reinvindicar o direito ao mesmo tratamento em relação a seus próximos desafetos. Viraria uma epidemia. Os necrotérios e cemitérios do país ficariam cheios, e diminuiria drasticamente o público nos estádios de futebol.

3 de jun de 2009

LE FOND DE LA MER

Foto: imagens.fotoseimagens.etc.br
Todos nós simples cidadãos, que, por necessidade ou diversão nos valemos do avião de carreira como meio de transporte devemos ter em mente que:

a) Aviões comerciais - civis, devido a exigência de conforto e outras mordomias a bordo não possuem estrutura e fuselagem nem ao menos comparável a qualquer transporte militar;

b) Projetos antigos de aeronaves para transporte de passageiros, baseados em antigos bombardeiros militares da segunda guerra como o Costelletion, devido a sua rusticidade, teriam mais condições de oferecer à tripulação e passageiros alguma chance de sobrevivência;

c) Instrumentação estado da arte, orientação por satélite, pilotagem fly by wire, alerta antecipado de todo tipo, radar meteorológico e a imagem de São Cristóvão dependurada sobre o painel de comando não resolvem muita coisa na hora do pega pra capar.

E nós, simples passageiros, aferrados à idéia reconfortante de que o avião é o meio de transporte mais seguro do mundo, vamos embarcando e caindo vez em quando.